Medeiros denuncia atraso nos salários dos terceirizados do Estado, e solicita apoio do deputado Adolfo Viana para resolver a questão

Zé tribunaO atraso nos salários dos funcionários da Delta Locação de Serviços e Empreendimentos Ltda, empresa responsável pela contratação de terceirizados para trabalhar nas escolas estaduais de Juazeiro, foi pauta do discurso do vereador Zé Carlos Medeiros (PV) na sessão da Câmara da última quarta-feira, 11.

 

O parlamentar afirmou que recebeu a visita de funcionários da empresa que relataram os constantes atrasos e a falta de compromisso trabalhista. Medeiros disse ainda que essa realidade não é exclusiva da Delta, mas que outra empresas terceirizadas que prestam serviço ao governo do Estado também estão na mesma situação “Esse discurso é uma reação à falta de compromisso e o desrespeito destas empresas, e do governo, com os trabalhadores. Quem trabalha merece receber. Não podemos deixar que isso aconteça”, pontuou.

 

O vereador lembrou que essa situação está atrapalhando o andamento das escolas na cidade. “Não podemos deixar que os funcionários parem e as aulas sejam prejudicadas, como foi na greve dos professores estaduais onde, por mais de cem dias, os alunos e os trabalhadores da educação foram massacrados pelo governo”, comenta.

 

Medeiros disse que solicitou ajuda do deputado estadual Adolfo Viana (PSDB) para resolver a questão. “Pela manhã, entrei em contato com o gabinete do deputado Adolfo Viana da nossa região e solicitei que ele fizesse gestão dessa situação junto a secretária de Educação do Estado e ao Ministério do Trabalho. O deputado se comprometeu a solicitar informações dos órgãos competentes e cobrar uma solução na Assembleia Legislativa”.

 

Assessoria de Comunicação / Gabinete Parlamentar Vereador Zé Carlos Medeiros (PV)

Nenhum comentário:

Regras do site
Não serão aceitos comentários que:
1. Excedam 500 caracteres com espaço;
2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;
Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;
4. Não tenham relação com a nota publicada pelo site.
Atenção: só serão disponibilizados no site os comentários que respeitarem as regras acima expostas.

Tecnologia do Blogger.