Moradores clamam para permanecer em lugar de propriedade do município. Pinto diz: 99% "foram sorteadas a dedo"

Na sessão da câmara de vereadores de Casa Nova na noite ontem, 10 de setembro de 2013, após o presidente Interino “Alex de Santana” dar como aberta a sessão, manifestantes ergueram em suas mãos cartazes reivindicando solução aos moradores das residências situadas por trás do estádio municipal. Motivo é sobre a possível retirada das casas do local que é de posse do município, os moradores construíram suas casas em local impróprio, sem documentação legal. Um problema herdado da gestão anterior, dada pelo abandono de vários seguimentos após o término da eleição. Um problema que o gestor tem que resolver. Wilson Cota é solução dos problemas e mazelas herdadas da antiga gestão.

 

De acordo com o vereador João Borges Pinto (PSD), aqueles que apontavam terrenos e incentivavam as pessoas a invadirem e construir suas casas nesses locais indevidos foram abandonados.  Afirma ainda que 99% dos que ali habitam, iludidos a construir e muitas das casas ‘‘Sorteadas’’ na gestão anterior, foram "escolhidas a dedo". “Conhecimento de causa hein vereador!”. Pinto aproveitou o uso da palavra para dizer a Leonardo Silva que menciona nomes e não manda recados, retrucando-o por ter se sentido tocado no auge da fala do colega na sessão passada, em que o vereador Leonardo Silva, colega de partido e oposição na bancada da câmara, afirmou que "tinha gente com medo de falar primeiro do que ele". O parlamentar aproveitou o  ensejo para fazer a INDICAÇÂO N° 62/2013, ao Senhor Prefeito através da Secretaria de Obras, que seja feito uma Praça na Vila Malvão, ao lado da Caixa Subestação de água, na sede deste Município. Esperto este vereador. Já é uma promessa de campanha do Prefeito.

 

Quem afirmou que não estava muito cônscio da situação foi o Ex. secretário de Obras Vanderlin Carvalho que assumiu que a gestão pode sim derrubar as casas dos moradores com razão. Contradição ou não?

 

Nenhum comentário:

Regras do site
Não serão aceitos comentários que:
1. Excedam 500 caracteres com espaço;
2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;
Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;
4. Não tenham relação com a nota publicada pelo site.
Atenção: só serão disponibilizados no site os comentários que respeitarem as regras acima expostas.

Tecnologia do Blogger.