Casa Nova é um dos municípios com os maiores efetivos de caprinos do Brasil

Brasil tinha 40,33 milhões de suínos em 2015, revela pesquisa do IBGE


 

O efetivo de suínos no País foi de 40,33 milhões de cabeças em 2015, um aumento de 6,3% em relação a 2014. Toledo (PR), Uberlândia (MG) e Rio Verde (GO) foram os municípios com os maiores rebanhos de suínos, segundo a Pesquisa Pecuária Municipal 2015, divulgada nesta quinta-feira, 29, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O Paraná deteve 17,7% do total nacional, efetivo maior do que o de toda a Região Sudeste. O Brasil continua na quarta posição mundial na produção de carne suína, segundo o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (United States Department of Agriculture - USDA), atrás de China, União Europeia e Estados Unidos.

Já o rebanho nacional de bubalinos foi de 1,37 milhão de cabeças em 2015, avanço de 3,5% em relação ao ano anterior. As 11 primeiras posições foram ocupadas por localidades do Pará e do Amapá. Chaves (PA) destacou-se na primeira posição, seguido por Soure (PA) e Cutias (AP).

O efetivo de equinos foi de 5,55 milhões de cabeças em 2015, um crescimento de 1,8% ante 2014. Os maiores rebanhos estavam localizados em Corumbá (MS), Santana do Livramento (RS) e Uruguaina (RS).

No caso dos caprinos, o rebanho atingiu 9,61 milhões de cabeças em 2015, uma alta de 8,6% em relação a 2014. Os 22 primeiros municípios do ranking estavam localizados na Bahia (9) e em Pernambuco (13). Os municípios com os maiores efetivos de caprinos foram Casa Nova (BA), Floresta (PE) e Petrolina (PE).

O efetivo de ovinos foi de 18,41 milhões em 2015, elevação de 4,5% em relação a 2014. Santana do Livramento (RS), Casa Nova (BA) e Alegrete (RS) foram os municípios com os maiores rebanhos.

Nenhum comentário:

Regras do site
Não serão aceitos comentários que:
1. Excedam 500 caracteres com espaço;
2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;
Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;
4. Não tenham relação com a nota publicada pelo site.
Atenção: só serão disponibilizados no site os comentários que respeitarem as regras acima expostas.

Tecnologia do Blogger.