Deputado Roberto Carlos pretende votar a favor do Projeto de Lei do poder Executivo que prevê a reestrutura na promoção de cargos para Policiais Militares

O deputado Roberto Carlos (PDT) pretende votar, na próxima semana, o projeto de Lei de autoria do Poder Executivo, que pretende reorganizar a estrutura de promoção dos cargos do efetivo da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros


De acordo com a proposição, o objetivo é garantir mais mobilidade aos policiais militares, inserindo ao Quadro de Oficiais Auxiliares da Polícia MilitarQOAPM os policiais militares oriundos do círculo de Praças, das graduações de Subtenente e 1º Sargento, que tenham concluído com aproveitamento o Curso de Aperfeiçoamento de SargentosCAS, competindo-lhes o exercício de atividades operacionais e administrativas da Corporação.


Os ocupantes da graduação de Subtenente e 1º Sargento com CAS poderão participar do processo seletivo para ingresso no QOAPM, respeitada a proporção de 50% (cinquenta por cento) das vagas pelo critério de antiguidade e 50% (cinquenta por cento) mediante a realização de provas de desempenho profissional intelectual. O maior grau hierárquico do Quadro de Oficiais Auxiliares Policiais Militares é o Posto de Tenente Coronel.


Entretanto, só poderão concorrer à promoção ao posto de Major e ao subsequente de Tenente-Coronel do QOAPM, os Capitães portadores de diploma de nível superior em cursos devidamente reconhecidos pelo Ministério da Educação, preenchidos os demais requisitos legais, inclusive conclusão com aproveitamento do Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais ou equivalente promovido pela Polícia Militar da Bahia ou pelo Corpo de Bombeiros Militar da Bahia.


De acordo com o deputado Roberto Carlos, esta é, sem dúvida, uma maneira de incentivar o trabalho de excelência nos quartéis, um a vez que um bom profissional demonstrará mais empenho para alcançar sua promoção profissional.

Nenhum comentário:

Regras do site
Não serão aceitos comentários que:
1. Excedam 500 caracteres com espaço;
2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;
Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;
4. Não tenham relação com a nota publicada pelo site.
Atenção: só serão disponibilizados no site os comentários que respeitarem as regras acima expostas.

Tecnologia do Blogger.