Articulador de Fundo e Fecho de Pasto em Casa Nova - Bahia participará evento homenagem a Dom frei Luís Cappiona, na Univasf

Religioso fez greve de fome em duas ocasiões para salvar o rio. Foto: Diario de Pernambuco. Foto: Carlos Laerte/ CLAS
Dom frei Luís Cappio, religioso conhecido pelo trabalho em defesa do Rio São Francisco, será homenageado na próxima segunda-feira (27), em Petrolina. O evento é promovido pelo Centro de Referência para Recuperação de Áreas Degradadas (Crad), da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf). O religioso já conquistou o Prêmio Kant de Cidadão do Mundo (2009), o troféu João Canuto (2009) e o Prêmio da Paz (2008). Ele é bispo católico da Diocese da cidade da Barra, na Bahia, e nos anos de 2005 e 2007 ganhou as manchetes dos jornais ao fazer duas greves de fome em protesto ao projeto de transposição do rio, do governo federal. Na década de 1990, ficou conhecido mundialmente após percorrer a pé os 2.830 quilômetros de extensão do Velho Chico.

A homenagem começa às 9h e vai contar com visitas aos experimentos de revitalização das Caatingas desenvolvidos pelo Crad, no Campus Ciências Agrárias (CCA). O evento será finalizado com uma palestra ministrada por dom frei Luís Cappio, a partir das 19h, no Auditório da Biblioteca do Campus Sede, no centro da cidade.

O religioso estudou teologia no Seminário Franciscano de Petrópolis, no Rio de Janeiro, e desde 1974, vive no semiárido nordestino. Dom frei Luís Cappio realizou trabalho de conscientização das comunidades ribeirinhas sobre a importância da preservação do rio, fazendo mobilizações de educação ambiental com os movimentos populares.

Para o diretor do Crad, José Alves Siqueira, "o evento é um momento para refletir sobre a vida do rio e os deveres que a população deve ter para preservá-lo".  Ainda segundo Siqueira, dom Cappio é símbolo de inspiração. “A sua luta pelo Rio São Francisco, por sua vida e conservação, é inspiradora. Nós precisamos destes elementos de inspiração para a sociedade, considerando os tempos difíceis em que vivemos.”, finalizou.

Programação:

Dia de reflexão sobre o Velho Chico

9h as 11h - visita aos experimentos de revitalização das Caatingas desenvolvidos pelo Crad/Univasf

15h às 17h - mesa redonda A voz e a vez de quem conhece o Rio São Francisco

Maria Alice Borges da Silva/Juazeiro/Bahia - Associação de Pescadores e Pescadoras da Lagoa do Curralinho/Itamotinga

Hermes Novais Neto/Santa Maria da Vitória/Bahia - pesquisador popular do oeste da Bahia

Zacarias Ferreira da Rocha/Casa Nova/Bahia - Articulação de Fundo e Fecho de Pasto na Bahia

Maria Tumbalalá - Abaré/Curaçá/Bahia - povo indígena Tumbalalá

19h as 20h - palestra Qual o mundo que queremos deixar para nossos filhos? Dom Luís Cappio

20h as 21h - debate

21h - confraternização
 

Nenhum comentário:

Regras do site
Não serão aceitos comentários que:
1. Excedam 500 caracteres com espaço;
2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;
Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;
4. Não tenham relação com a nota publicada pelo site.
Atenção: só serão disponibilizados no site os comentários que respeitarem as regras acima expostas.

Tecnologia do Blogger.